Essa edição do Café 22 foi o início de uma parceria que esperamos que seja duradoura: Fomos abrigados pelo Estudo de Bom.

O Estudo de Bom é um espaço criado para ajudar jovens a descobrir (ou talvez redescobrir) a paixão pelo conhecimento, pela pesquisa e pelo estudo.

Desta vez tivemos 26 participantes e foi um ótimo número. O bastante para ter algumas pessoas novas, mas não para formar grupos de papos paralelos que ocorriam com mais de 40 pessoas.

Essa provavelmente foi a edição onde o tempo de cada fala foi mais respeitado. Isso deve ter acontecido em parte porque estamos pegando o jeito e em parte por termos conseguido um contador regressivo de bom tamanho que ficava diante dos falantes (dá para ouvir o alarme dele em alguns dos vídeos).

Nossa regra são seis apresentações por edição, mas como só foram apresentadas sete falas decidimos não abrir votação e apresentar todas elas, foi ótimo. Todos que quiseram falar tiveram espaço e não ficou cansativo.

Aqui estão os falantes desse Café:

  1. Natália Pupin (@Nataliah): Viajando sozinha
  2. Mariana Pupin (@MariPupin): Pesquisa Clínica – Desmitificando a Cobaia Humana
  3. Ramon Page (@RamonPage): Comunidades
  4. Antonio Azevedo (@AntonioAzevedo): Correndo descalço – Primeiras Impressões
  5. Márcia Naidin (@Viva_): Impressionismo Alemão
  6. Roney Belhassof (@roneyb): Repensando a escola do zero
  7. Leanderson Silva (@Lesilva): A Geração Y na Igreja